Duas leis distintas que buscam legalizar spywares foram aprovadas na câmara dos deputados dos Estados Unidos e agora estão esperando aprovação no Senado

Estas leis receberam diversas críticas e alguns acreditam que, em vez de solucionar o problema, vão acabar como aconteceu com o CAN-SPAM, que legalizou diversos e-mails que não eram solicitados, tornando a situação ainda pior. Alguns parlamentares querem reformas no CAN-SPAM devido às críticas.

Outro ponto negativo é que a maioria dos distribuidores dos piores spywares/hijackers não se localizam nos Estados Unidos. Muitas vezes os domínios são registrados na Rússia com nomes falsos, o que dificulta ainda mais o trabalho da polícia para punir quem infringir a lei.

Uma das leis proibe “acessar um computador sem autorização para copiar código para o mesmo”. Enquanto isso parece proibir downloads automáticos legítimos como atualizações, as atualizações não são feitas sem a autorização do usuário. Se uma atualização foi instalada sem autorização, há realmente um problema (funcionalidades de “atualizações” foram usadas para reinstalar completamente alguns adwares).

Empresas de adwares foram pressionadas durante muito tempo para criar uma opção para desabilitar a atualização automática. Algumas ainda não o fizeram, e talvez essa lei force-as a criar tal opção. Porém, a lei menciona que isso somente será proibido se o código copiado por malicioso. A definição de “código malicioso” é que determinará se essa lei vai piorar ou melhorar a situação.

Escrito por Altieres Rohr

Jornalista e tradutor. Editor dos sites Linha Defensiva e Garagem 42 e colunista de Segurança Digital no portal G1 da Rede Globo.