Quando um mercado se mostra lucrativo e fácil, diversas empresas pulam no barco para entrar neste mercado e lucrar também.

Um exemplo atual disso é o que está ocorrendo com os programas anti-spywares. É impressionante a quantidade de novos programas que aparecem para — tentar — proteger o usuário dessas pestes. Um dos motivos que colabora para esse acontecimento é a simplicidade de se criar um programa anti-spyware.

O novo membro do mercado é a BigFix, que oferecerá soluções para o gerenciamento de outros programas anti-spywares que são difíceis de implementar em uma escala empresarial. O outro programa oferecido, o AntiPest, vai usar tecnologia licenciada do PestPatrol, da Computer Associates.

A BigFix não está apenas lançando mais um programa anti-spyware: ela está desenvolvendo programas de gerenciamento para que as empresas implementem suas soluções contra spyware com as ferramentas que quiserem. O software da BigFix é capaz de gerenciar programas populares do mercado, como o Ad-Aware, Spybot S&D e o SpySweeper.

Mas existem programas de uma qualidade muito baixa, chamados de Rogue Anti-Spywares. O pesquiador Eric L. Howes do site SpywareWarrior mantém uma lista esses anti-spywares ruins. Em menos de um ano de existência, a lista hoje possui mais de 200 programas duvidosos e de qualidade extremamente baixa, anunciados como “anti-spywares”.

O motivo da baixa qualidade

Diferentemente dos antivírus, anti-spywares não necessitam de uma rotina de desinfecção — basta encontrar os arquivos problemáticos e removê-los. Isso faz com que a maioria desses programas seja de baixa qualidade ou então se mostrem inúteis quando spywares empregam técnicas mais avançadas de infecção, pois não possuem as tecnologias que a indústria antivírus utiliza para remover os problemas dos sistemas infectados.

Você confia no seu anti-spyware? Não deixe de votar na nossa enquete sobre o assunto e expressar a sua opinião sobre o seu programa de proteção contra as pragas comerciais.

Anúncios

Escrito por Altieres Rohr

Jornalista e tradutor. Editor dos sites Linha Defensiva e Garagem 42 e colunista de Segurança Digital no portal G1 da Rede Globo.