O primeiro código malicioso lançado para telefones móveis — o worm Cabir — foi encontrado no dia 14/06 de 2004.

Hoje já existem mais de 100 worms e trojans para telefones móveis que usam a plataforma Symbian, sendo que muitos deles são cópias do Cabir original, já que o código-fonte do worm apareceu na Internet no final de Dezembro de 2004, quando o Cabir estava presente em apenas 7 países.

Atualmente o Cabir já está em mais de 30 países, e além do Cabir diversas variantes de trojans como o Skulls e variantes do Commwarrior estão à solta infectando aparelhos móveis de diversas pessoas.

Aleks Gostev, pesquisador antivírus da Kaspersky Labs, diz que os programadores de vírus costumam atacar plataformas que possuem mais usuários. Como celulares desse tipo ainda são muito caros, ele acredita que o problema vai piorar quando telefones rodando Symbian forem populares e acessíveis.

Entretanto, Gostev diz que os programadores de vírus já sabem que existem grandes possibilidades para serem exploradas no campo dos portáteis e que hoje a principal motivação para a programação de código malicioso é o dinheiro. Como esses aparelhos podem conter informações confidenciais ou críticas de uma empresa, os programadores de vírus podem obter dinheiro através de fraudes ou roubando dados das empresas.

O colecionador de vírus brasileiro Marcos Velasco também criou um worm chamado de Lasco. O worm também tem a capacidade de infectar arquivos SIS e portanto se tornou o primeiro vírus real para celulares.

Não há duvidas de que o número de código malicioso atacando telefones celulares e outros aparelhos portáteis aumentará nos próximos anos juntamente com a popularidade desses dispositivos.

Escrito por Altieres Rohr

Jornalista e tradutor. Editor dos sites Linha Defensiva e Garagem 42 e colunista de Segurança Digital no portal G1 da Rede Globo.