Pesquisadores do grupo de segurança da Microsoft inseriram, propositalmente, um código malicioso em um computador para fazê-lo atrair spammers e hackers. Na prática, o que a empresa fez foi transformá-lo em um “zumbi” para que os spammers tentassem usá-lo para enviar milhares de e-mails indesejados sem usar seu próprio endereço IP.

Instantaneamente, os pesquisadores notaram que o programa passou a mandar um alerta para um servidor com a sua localização. Em menos de três semanas, o computador da Microsoft recebeu mais de cinco milhões de requisições para enviar 18 milhões de spams. No total, foi enviada publicidade de 13 mil páginas Web.

O teste mostra como os spammers enviam mensagens ilegalmente através de computadores que não lhes pertencem, mesmo depois que o governo norte-americano aprovou a lei CAN-SPAM que regula as mensagens indesejadas.

Pelo menos 13 empresas identificadas no teste do micro “zumbi” serão processadas judicialmente pela Microsoft e pela Comissão Federal de Comércio dos Estados Unidos (FTC). As duas também irão lançar uma campanha com o intuito de prevenir usuários deste tipo de ataque, que hoje é um dos maiores problemas da web.

Escrito por Dohko