Gamers estão usando rootkits para passarem despercebidos por mecanismos de detecção de trapaça (cheat) em jogos online. Usando as capacidades do rootkit para esconder arquivos e processos no Windows, os gamers fazem com que os detectores de trapaça do jogo não sejam capazes de detectar a presença do software/bot de cheating.

Rootkits como o FU e o Hacker Defender são usados por cheaters para esconder os processos do programa de trapaça. Com a recente descoberta de que arquivos iniciados com $sys$ são escondidos pelo software de DRM da Sony, eles passaram a usá-lo também, de acordo com uma nota no site SecurityFocus.

Programas para detectar softwares de trapaça, como o cliente Warden que foi criticado por ser um spyware ao examinar os processos rodando no computador do usuário, não são capazes de detectar os processos iniciados por $sys$ caso o rootkit da Sony esteja presente.

Detectar um rootkit é um processo muito complicado atualmente e detectar softwares de cheat poderá se tornar uma tarefa impossível se essa prática continuar. Rootkits são softwares extremamente fáceis de se configurar e na maioria das vezes são seguros se não forem acompanhados de softwares maliciosos, como é o caso do rootkit da Sony.

Escrito por Altieres Rohr

Jornalista e tradutor. Editor dos sites Linha Defensiva e Garagem 42 e colunista de Segurança Digital no portal G1 da Rede Globo.

2 comentários

  1. André Melo 07/11/2005 às 13:01

    Eu creio que com a difusão desse tipo de programa em breve as empresas de antivirus criarão um anti-rootkit para gamers. hehehehe

    Curtir

  2. Bruno Liberato 08/11/2005 às 13:13

    concordo e acho que ja deveriam ter dado um jeito… está ficando impossivel jogar online atualmente com esses cheets…

    Curtir

Os comentários estão encerrados.