Fizemos um breve comentário sobre o antivírus gratuito da AOL, o Active Virus Shield, na nota sobre o vazamento de informações sobre as buscas dos usuários do provedor. Não demorou para que surgissem críticas ao produto: analisando o acordo de licença, alguns especialistas o criticaram por permitir que a AOL mostrasse pop-ups em troca do uso do programa, caso assim desejasse, e que a AOL poderia também coletar dados sobre o uso do software e do computador, dando inclusive à AOL o direito de compartilhar esses dados com terceiros.

A AOL afirmou que vai modificar a licença e que somente irá enviar e-mails publicitários, os quais o usuário pode decidir não receber futuramente.

O Active Virus Shield é uma versão simplificada da versão 6 do antivírus da empresa russa Kaspersky. Não existe outro antivírus gratuito baseado na tecnologia da empresa russa que não o da AOL, então o balanço entre o recebimento de spam e o uso do antivírus de graça fica a critério de cada um.

Anúncios

Escrito por Altieres Rohr

Jornalista e tradutor. Editor dos sites Linha Defensiva e Garagem 42 e colunista de Segurança Digital no portal G1 da Rede Globo.

1 comentário

  1. Tenho visto muitos assuntos quanto a vírus, falhas de segurança do windows e etc.

    Agora porque será que nenhuma dessas empresas falam a respeito de rootkit?. Essa tecnica é muito mais perigosa e nenhuma delas começa a ensaiar nada a respeito.

    Quando começarem a usa-los as empresas de antivirus vão fazer o que?. Vender soluções lógico. Mais essa técnica é pior de se resolver.

    Li tempos atrás que a microsoft iria colocar um patch para evitar esconder esses processos que interceptam o kernel (me corrijam) e ficam escondidos. Então qualquel aplicativo deixaria de poder se esconder do usuário.

    Mais até agora não apareceu mais nenhuma notícia sobre o assunto.

    Curtir

Os comentários estão encerrados.