Christopher Boyd, um MVP respeitado na comunidade de segurança, não está muito feliz com a recente premiação MVP de Cyril Paciullo, desenvolvedor do popular add-on Messenger Plus. O Messenger Plus é conhecido entre os especialistas em adware e spyware por distribuir o adware LOP, da C2 Media, também chamado de “Swizzor” por alguns programas antivírus.

O programa Microsoft Most Valuable Professional (MS MVP) premia individúos que participam de comunidades técnicas para compartilhar gratuitamente seus conhecimentos e experiências com usuários que estejam com alguma dúvida ou problema em softwares Microsoft. Existem apenas pouco mais de 2600 MVPs em 81 países.

Desconsiderando o adware, que é opcional, o Messenger Plus é gratuito e portanto também poderia ser considerado um auxílio aos usuários do comunidador instantâneo da Microsoft. Por outro lado, o Lop, instalado por usuários desatentos, é um software malicioso que inclusive dá trabalho a outros MVPs que trabalham com assistência na remoção de vírus. O Lop é uma praga comum e já esteve em nossos top 10 algumas vezes. O adware exibe pop-ups, cria ícones na área de trabalho, usa nomes aleatórios em pastas para se instalar e também redireciona a página inicial do navegador, dependendo da versão.

Christopher Boyd, escrevendo em seu blog [inglês], critica a decisão e inclui uma “screen shot” do serviço Virus Total onde apenas um antivírus detecta o Messenger Plus como ameaça: o da Microsoft.

Hoje o Messenger Plus só instala o adware caso você permita que ele o faça. Em versões antigas, a opção para instalar o adware era padrão, ou seja, bastava instalar sem verificar as opções (o que é muito comum, apesar de ser errado) que sua máquina estaria infectada com Lop. Muitas vezes era necessário desinstalar o Messenger Plus por completo para se ver livre do Lop e, em algumas vezes, nem isso funcionava. As mudanças ocorrerão depois que muitas pessoas, como Sandi Hardmeier, MVP em Internet Explorer, criticaram as práticas de Paciullo.

Atualização — Paciullo (também conhecido como Patchou) foi removido do programa MVP.

Anúncios

Escrito por Altieres Rohr

Jornalista e tradutor. Editor dos sites Linha Defensiva e Garagem 42 e colunista de Segurança Digital no portal G1 da Rede Globo.

8 comentários

  1. Hugo Bastos Lima Verde 07/10/2006 às 07:54

    A microsoft, esta grande corporação, mostra que crescer é um ato muito dificil e a sua vontade de ser a maior e unica empresa de informatica do mundo, quase sempre esbarra na falta de ética de seus componentes, bem como na prática de atitudes ilegais da empresa como um todo e outras praticas condenáveis no campo da moral.

    Curtir

  2. Fabio Assolini 07/10/2006 às 16:25

    Se a MS incorporasse os recursos que o Messenger Plus oferece não haveria motivo para a existencia desse add-on
    A MS falha em adicionar recursos em seus programas e é justamente ai que desenvolvedores independentes pegam carona e distribuem adware e spy em seus softwares.

    Curtir

  3. Fabio Assolini

    Não existe software perfeito. Os programas são projetados para terem uma série de recursos e, quando isso estiver pronto, lançados. E sempre, por mais coisas que você coloque, sempre haverá alguém insatisfeito ou alguém que quer algo diferente. Qualquer programa que pode ter plugins terá, pois é uma forma de personalização que muitos usuários desejam.

    Então o fato não é ter ou não o add-on, mas sim premiar com MVP um sujeito que faz um software que instala o pior adware “de borda” atualmente. Nem mesmo a Direct Revenue, que está sendo processada, ainda usa arquivos aleatórios pra manter o software no sistema.

    Curtir

  4. fatherofpain 07/10/2006 às 18:08

    A verdade é que o messenger plus é uma ameça a segurança sim. existem muitos usuarios desatentos que não leem os termos e acabam instalando esses programas indesejados e de dificil remoção. Todo programa que instale coisas desse tipo na maquina do usuário, deveria ser classificado como virus por todos os anti vírus e deveriam ser automaticamente deletados.

    Curtir

  5. Onde está a explicação da Microsoft sobre o motivo da premiação?

    Talvez eu não tenha entendido o contexto! Criar um adware malicioso é motivo para não dar a premiação, mesmo sendo para uma pessoa qualificada tecnicamente? (eu só estou supondo).
    Não me entendam mal, sou totalmente contra este tipo de programa, mas não entendi o que tem a ver uma coisa com a outra. Talvez alguém que tenha mais informação possa me esclarecer.

    Curtir

  6. Se o Paciullo foi considerado o “Most”, imaginem o nivel do “Least”. Fala sério! Dar um título desse pra um cara que fez um simples add-on? Pensava que a pessoa que tinha esse título era uma sumidade!

    Curtir

  7. Rogerfer

    A Microsoft é quem decide quem recebe os prêmios de MVP. O critério é deles e é geralmente baseado em quem ajuda mais os usuários ou técnicos em produtos Microsoft. Nesse caso, o sujeito teria ganho provavelmente devido aos recursos e funcionalidades do plugin pro Messenger. Tudo normal até aqui.

    A notícia é que o premiado está envolvido com um distribuidor de adware e que pelo menos 1 MVP não gostou da premiação dele, já que na comunidade de segurança estar ao lado de distribuidores adware nunca é bom negócio, principalmente porque alguns MVPs trabalham em programas e sites anti-spyware. Em outros palavras, existe um conflito direto entre os ideais e objetivos de alguns membros do programa, o que provavelmente não deveria haver para preservar a imagem de seus membros.

    Curtir

  8. Legal Altieres, entandi.
    Obrigado.

    Curtir

Os comentários estão encerrados.