O procurador geral do estado de Washington (EUA) divulgou na última segunda-feira (04/12) o fim do processo contra a empresa de segurança Secure Computer, distribuidora do anti-spyware falso Spyware Cleaner. Além de ter de pagar um milhão de dólares ao estado, a empresa também terá de devolver o dinheiro aos usuários de Washington que compraram o software.

As partes envolvidas entraram em um acordo no qual a Secure Computer, que parou de vender o Spyware Cleaner logo após o início do processo, terá de pagar um total de $1 milhão de dólares ao estado, entre multas e compensação por custos com advogados. O caso é o primeiro baseado na nova lei contra “spyware” de Washington e teve início no fim de janeiro deste ano.

O Spyware Cleaner, apesar de não ser um “spyware”, tratava-se de um anti-spyware fraudulento. Esses softwares são geralmente promovidos por meio de campanhas publicitárias agressivas e falsas, onde o computador do usuário está sempre “infectado”, mesmo que ele não esteja e, após instalados, eles podem até mesmo reduzir a segurança do computador, como no caso do Spyware Cleaner.

Alguns afiliados da empresa, responsáveis por algumas das práticas mais agressivas e enganadoras utilizadas para promover o produto, também foram processados. O estado já havia chegado a um acordo com eles, que pagaram quase $100 mil dólares em multas e compensação por custos com advogados que o estado teve. Um dos afiliados, Manoj Kumar, não foi encontrado por residir na Índia. Os afiliados recebiam em torno de U$37.50 de comissão por cada cópia de US$49.95 do Spyware Cleaner que era vendida.

Na web, anúncios do Spyware Cleaner afirmavam que o usuário estaria potencialmente em risco e, caso fosse feito um exame completo, este sempre inidicaria a presença de infecção, existindo ela ou não. A única maneira de resolver o falso problema era comprando o programa e, após instalado, o software não fazia nada além de piorar a segurança do computador.

Aproximadamente 1,145 consumidores em Washington adquiriram o software e terão direito ao reembolso.

Anúncios

Escrito por Altieres Rohr

Jornalista e tradutor. Editor dos sites Linha Defensiva e Garagem 42 e colunista de Segurança Digital no portal G1 da Rede Globo.

3 Comments

  1. Quem fez este programa deve ser parceiro do criador do WinAntiVirus, que só instala adwares na máquina e não protege nada.

    Curtir

  2. Jorge Soares 08/12/2006 às 08:51

    Esse tipo de fraude deveria ser analisada também na empresa Norton Symantec, pois se o usuário optar por não continuar renovando a assinatura, o anti-vírus começa a enviar mensagens de que o PC está contaminado e invadido por vírus, trojans e spywares, além de outras pragas.

    Curtir

  3. apenas isto
    condenaçao exempelar

    Curtir

Comentários encerrados.