E o futuro?

Não restam dúvidas de que as redes zumbi continuarão sendo a grande fonte de lixo eletrônico que lotam nossas caixas de entrada. E não há dúvidas de que o mercado de softwares anti-spam tende a crescer.

Os spammers e softwares anti-spam continuam travando uma briga que não parece ter fim. De um lado, spammers tentando enviar lixo eletrônico e, do outro, o software anti-spam tentando bloquear o spam. No meio de tudo está o usuário que clica, lê e responde os e-mails enviados ilegalmente.

Para o spammer, enviar mensagens indesejadas continurá sendo vantajoso enquanto houverem usuários que perdem seu tempo lendo os e-mails e comprando os produtos neles divulgados.

O mais importante é que você não siga links divulgados nessas mensagens e não compre os produtos divulgados via e-mail indesejado. Para evitar spam, o melhor é não divulgar seu endereço de e-mail.

Leitura Recomendada

Escrito por Altieres Rohr

Jornalista e tradutor. Editor dos sites Linha Defensiva e Garagem 42 e colunista de Segurança Digital no portal G1 da Rede Globo.