Adwares disparam para empatar com os Bots pela segunda posição. Número de infecções de Vundo e C2.Lop sobem um pouco, enquanto Backdoors caem. Número de sistemas infectados com Windows Vista permanece estável em aproximadamente 1%.

Importante: Leia o FAQ sobre estatísticas antes de continuar. Ele possui informações importantes para que você não interprete os dados abaixo de forma incorreta. As estatísticas foram coletadas com base em um serviço que a Linha Defensiva presta aos seus usuários, removendo vírus e outros malwares gratuitamente através da área Remoção de Malware no Fórum.

  1. 52,9%: Banker

    Bankers são vírus brasileiros que roubam senhas de bancos, MSN, Orkut e cartões de crédito. Alguns são também capazes de roubar senhas de provedores como Globo, Terra e UOL. Muitos são espalhados manualmente pelos seus criadores, que enviam e-mails fraudulentos (falsos) para milhares de pessoas que, caso abram a mensagem e o link nela presente, serão infectadas. Outros se espalham automaticamente por meio de mensagens de MSN e recados e depoimentos do Orkut.

    Para evitar os Bankers é importante tomar extremo cuidado durante a abertura de links recebidos por meio de mensagens de e-mail, Orkut e MSN. Se você desconfia que está infectado, a ferramenta BankerFix, da Linha Defensiva, poderá lhe ajudar

    Em outubro, Bankers eram 55,2% das infecções. O número, portanto, permaneceu estável.

  2. 6,5%: Adware [Empate #3]

    Representa diversos adwares “genéricos” que exibem pop-ups e propagandas. São formados por adwares que não possuem uma “marca” ou são pouco conhecidos.

    A remoção deles é geralmente bem simples, bastando remover uma ou duas entradas no HijackThis e apagar o arquivo responsável usando o KillBox. O mais comum desses adwares é o trojan AdClicker, que se instala com o arquivo vbsys2.dll e exibe, em sua maioria, anúncios pornográficos.

    Com o aumento da pressão sob os adwares mais conhecidos, os adwares genéricos — que são instalados ilegalmente sem qualquer punição — se tornaram mais viáveis para donos de botnet que querem ganhar dinheiro instalando adwares nos computadores que infectam.

    No mês passado, Adwares ocupavam a penúltima posição.

  3. 6,5%: Bot [Empate #2]

    Bot é um tipo de código malicioso que torna cada computador infectado um “zumbi” a serviço do criador da praga. A rede de computadores infectados por um mesmo bot é chamada de botnet (rede zumbi). Os controladores das Botnets as utilizam para enviar spam, atacar websites e exigir dinheiro de seus donos para parar o ataque, roubar dados dos sistemas infectados, hospedar códigos maliciosos e sites falsos para roubo de senha, entre outros usos.

    Botnets podem ser formadas por milhares de máquinas. A maioria dos bots se espalha utilizando falhas no Windows, portanto manter o sistema atualizado é recomendado. Outros bots se espalham por meio de arquivos falsos em redes Peer-to-Peer (P2P).

    O número de Bots não desceu muito, apenas 0.7 ponto percentual. Mesmo assim, a alta dos Adwares causou um empate pela segunda posição.

  4. 6%: Smitfraud

    Smitfraud é um conjunto de infecções que instala no computador afetado um anti-spyware fraudulento que tenta remover a própria infecção que o instalou. Em outras palavras, os criadores do Smitfraud vendem a solução para o problema que eles mesmos criaram. Esses anti-spywares são geralmente caros e ruins — muitas vezes detectam pragas que nem sequer existem no sistema e deixam passar casos reais de infecção.

    A Linha Defensiva disponibiliza um tutorial para remover a versão SpyAxe do Smitfraud. O tutorial também serve para remover outras infecções mais novas do mesmo gênero. Se você está recebendo mensagens partindo da bandeja do relógio com o título “Your computer is infected”, tente seguir o tutorial do Smitfraud para resolver o problema.

    Com 2,2% das infecções, o Smitfraud estava na penúltima posição em agosto. Com um aumento de um ponto e meio no percentual, atingiu em setembro a quinta posição. Em outubro, com 1.7 ponto de alta, o Smitfraud ficou com a terceira colocação – que só perdeu neste mês devido a alta dos Adwares, mas ainda teve uma alta de 0.6 ponto percentual.

  5. 4,4%: Vundo

    O Vundo é uma praga semelhante ao Wareout e ao Smitfraud. Ao invés de instalar um software de segurança falso imediatamente, ele cria pop-ups e mensagens de alerta no computador até que o usuário autorize a instalação do programa de segurança.

    O Vundo (também conhecido como Virtumonde) geralmente instala programas da WinSoftware, tais como o WinAntivirus e WinFixer. A WinSoftware é conhecida por práticas publicitárias enganosas, como no caso do vírus Backtera.

    Remover o Vundo é uma tarefa complexa. O programa VundoFix pode ajudar, mas algumas das versões mais novas do Vundo conseguem se esconder no sistema e ainda não são detectadas pelo VundoFix.

    Apesar de uma pequena alta, o Vundo perdeu uma posição devido ao aumento dos adwares.

  6. 3,5%: Backdoor

    Backdoors ou RATs (Remote Administration Tools) são ferramentas de administração remota instaladas por diversos cavalos de tróia. Elas permitem que um cracker controle o computador remotamente, sem a necessidade de explorar qualquer vulnerabilidade no sistema caso o usuário execute o cavalo de tróia que instala um RAT.

    Nessa classe estão os mais diversos programas de administração remota instalados por pragas maliciosas, incluindo programas que, caso não tivessem sido instalados sem o consentimento do usuário, seriam perfeitamente aceitáveis, tais como o ServU (servidor de FTP) e o Radmin. Um exemplo de Backdoor malicioso é o BiFrost (também chamado de BiFrose).

    Uma queda de pouco mais de meio ponto percentual (0.6) fez com que os Backdoors caíssem abaixo do Vundo.

  7. 2,6%: C2.LOP

    C2.Lop é a praga instalada pelo Messenger Plus!. O C2.Lop é capaz de redirecionar o Internet Explorer, instalar ícones na área de trabalho e exibir pop-ups que levam o usuário a outras pragas digitais, como o Vundo. Um sintoma conhecido é o aparecimento de uma barra azul que divulga cassinos e outros sites pouco confiáveis.

    A remoção do C2.lop é complicada, pois ele utiliza nomes aleatórios. É possível instalar o Messenger Plus! sem o patrocínio para que o C2.LOP não seja instalado junto e também é possível desinstalar apenas o patrocínio do Messenger Plus! (que é o C2.LOP). No tópico do fórum sobre a praga você encontra um link para uma ferramenta de remoção, mas ela nem sempre funciona. Você pode usar o fórum caso ainda tenha problemas.

    Uma leve alta no número de infecções e o baixo número de Dialers contribuiu para que o C2.Lop ficasse com uma posição melhor..

  8. 1,6%: Dialer

    Dialers são códigos maliciosos que tentam usar o modem para conexões discadas para acessar números 900 (premium), onde, além de pagar a tarifa da ligação, o consumidor também deve pagar um “serviço” para o dono da linha. Dialers geralmente acessam números 900 que permitem acesso a sites pornográfico

    Muitos dos dialers são intrusivos e criam conexões extras na máquina sem a permissão do usuário. Alguns modificam o número a ser discado toda vez que o internauta tentar abrir uma conexão com o provedor. A dificuldade para se remover um dialer varia muito e, na maioria das vezes, ele foi instalado na máquina sem a autorização do internauta. Em outras palavras, os dialers são criados para tentar obrigar o usuário a dar dinheiro para o criador da praga por meio da conta telefônica

    Dialers tiverem uma queda este mês, em parte pela menor quantidade de infecções “Zonebac” que estavam levando a praga para posições melhores nos meses anteriores.

  9. 1,3%: Wareout

    Wareout é uma praga semelhante ao Smitfraud. Ele instala aplicativos de segurança que não funcionam de forma correta. Apesar do objetivo ser o mesmo (convencer o usuário a gastar dinheiro com um software que não funciona), o Wareout opera de modo diferente no sistema, portanto sua remoção é complicada. O anti-spyware Wareout hoje é pouco comum. Outras variantes mais novas como o UnSpyPC é que são responsáveis pelos casos atuais de Wareout.

    O FixWareout é útil para remover infecções de Wareout.

  10. 1,1%: MyWebSearch / CoolWebSearch [Empatados]

    MyWebSearch/MyBar é um adware geralmente instalado por programas da FunWebProducts. O objetivo deles é direcionar tráfego para o portal MyWay.com (daí o seu nome). Tanto o portal MyWay como a Fun Web Products pertencem à IAC Search & Media, que também gerencia o portal de buscas Ask.com.

    Os produtos da FunWebProducts são muito divulgados na web por meio de banners que prometem “novos emoticons” e cursores animados (que levam o internauta aos programas Smiley Central e Cursor Mania, respectivamente).

    Apesar de não ser um software malicioso, muitos usuários não sabem que o MyWay foi instalado no PC por estes programas e, em alguns casos, estes programas podem causar problemas com o navegador, visto que são instalados como plug-ins.

    CoolWebSearch, por sua vez, foi um conjunto de pragas digitais muito persistentes que alteravam a página inicial do navegador web e não permitia que a mesma fosse trocada. Atualmente, o nome é usado genericamente para descrever qualquer código malicioso que bloqueie a página inicial do navegador e impeça que a mesma seja alterada pelo usuário. Saiba mais sobre o CoolWebSearch »

    Os dois ficaram empatados com pouco mais de 1% das infecções. O CoolWebSearch esteve no top 10 do mês pela primeira vez desde setembro de 2006.

Sistemas Operacionais

A tabela abaixo é baseada apenas nos logs que possuíam pelo menos uma infecção.

Nota importante: O número não representa quais os sistemas que são mais vulneráveis. Instalar o Windows 98 não lhe tornará mais seguro do que o Windows XP SP2. A lista é diretamente afetada pelo número de usuários que utilizam o sistema em questão, o que significa que o Windows XP geralmente estará com a maioria das infecções.

Windows XP SP2 90,6%
Windows XP SP1 3,2%
Windows 98/98SE 1,9%
Windows Vista 1,5%
Windows XP Gold (Sem SP) 1,3%
Windows 2000 SP3/SP4 0,7%
Windows ME 0,4% Windows 2003 0,2% Windows 2000 Gold (sem SP) 0,2%
Anúncios

Escrito por Altieres Rohr

Jornalista e tradutor. Editor dos sites Linha Defensiva e Garagem 42 e colunista de Segurança Digital no portal G1 da Rede Globo.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.