Cibercafé em Seul (Foto: Rob Fahey/CC-BY-SA)

País é um dos mais conectados do mundo. (Foto: Rob Fahey/CC-BY-SA)

As autoridades coreanas anunciaram na última quinta-feira (28), que 35 milhões de cidadãos do país podem ter tido seus dados vazados. Hackers invadiram dois grandes sites coreanos, o Nate, 3º maior portal busca sul-coreana que contém 25 milhões de usuários, e o Cyworld, também conhecido “Facebook coreano”, rede social que com 33 milhões de participantes.

Segundo o governo do país, 35 milhões de internautas podem ter ficado com seus dados expostos, se os dois ataques forem somados. Entre as informações vazadas estariam telefones, e-mails, endereços e número de registro residente.

A Coreia do Sul tem cerca de 49 milhões de habitantes, dos quais 43,7 milhões usam a internet

A SK Communications, responsável pelos sites invadidos, afirmou que o IP dos invasores é chinês. A companhia pediu ainda que a polícia investigue o caso. “Tomamos medidas de segurança depois de termos detectado um código malicioso proveniente de um IP da China na terça-feira (26)”, disse um porta-voz da empresa à agências de notícias em Seul, capital sul-coreana. “A empresa não tem informações específicas sobre quem pode ter realizado a invasão.

Uma equipe especializada em ciberterrorismo da Agência Nacional de Polícia visitará a sede que contém a base de dados da companhia, em Seul, para investigar o caso.

Se confirmado, o ataque será o maior roubo de dados da história do país, segundo autoridades. O maior atualmente foi em uma unidade coreana do eBay, onde milhões de usuários foram afetados.

Anúncios

Escrito por Giovane Martins

Acadêmico de Filosofia - Licenciatura pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUCRS). Bolsista de Iniciação Científica do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), sendo membro do grupo de pesquisas Filosofia e Interdisciplinaridade, sob a orientação do prof. Dr. Agemir Bavaresco. Realiza pesquisas nos seguintes temas: Opinião Pública, Democracia e Representação Política. É pesquisador do Centro de Estudos em Filosofia Americana (CEFA), sob a orientação do prof. Dr. Paulo Ghiraldelli Jr., participando do grupo de pesquisa Filosofia e Subjetividade, da Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro (UFRRJ), trabalhando com o tema da teoria das esferas do filósofo alemão Peter Sloterdijk. Membro do GT da ANPOF "Semiótica e Pragmatismo" e membro associado da The Richard Rorty Society. Site pessoal: http://www.giovanemartins.com.br/

1 comentário

  1. vinicius montarroyos 13/12/2011 às 18:22

    oi gostaria de falar um erro que vi nesse comentário e sobre as hacker por favo hacker não são aqueles que roubam informações ou dados da internet mais os que fazer isso são os gracker os hacker são programadores que usam sua inteligência para desenvolver softwares que impeça a invasão dos gracker isso chega ate ser um insulto para min. Pq também sou hacker e acho isso pura falta de dialogo por favo vamos acabar com essa ma impressão de hacker e vamos falar o nome certo os GRACKER .obrigado pela colaboração e ate fui.

    Curtir

    Responder

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s