O Google informou ontem (16/07), em seu blog oficial, que o antes eterno cookie que guarda as preferências de usuário agora irá expirar após dois anos caso o usuário não volte a visitar o site.

Cookies são pequenos arquivos guardados pelo navegador web. Eles são necessários para que os sites lembrem quem você é (no caso de sistemas de login, por exemplo) e também suas preferências. É assim que o Google lembra, por exemplo, qual sua configuração preferida para os resultados a serem exibidos, quantos resultados serão exibidos por página e se o filtro de conteúdo pornográfico está ativado ou não.

Mas é com este mesmo cookie que o Google consegue fazer uma lista de todas as buscas já feitas por você. O Google sabe quais as buscas que você fez no passado e, com elas, tenta descobrir o que você pode estar procurando numa busca atual. Como o vazamento do histórico da AOL mostrou, estes dados podem ser comprometedores.

Antes de durar “apenas” 2 anos, o cookie do Google estava configurado para expirar no ano de 2038, a última data possível, ou seja, o desejo real do Google era que o mesmo fosse eterno. O cookie sempre pode ser apagado, ou rejeitado, nas configurações do navegador web.

A nova prática não mudará nada para usuários que visitam o Google pelo menos uma vez a cada dois anos, pois o cookie continuará se renovando e o histórico de buscas continuará armazenado pelo Google mesmo após este período. As demais empresas de busca não fazem melhor que o Google, é verdade, mas pelo menos não dizem que estão “melhorando a privacidade” com medidas sem impacto real.

Uma outra mudança anunciada pelo Google em março terá um impacto mais visível. O Google impossibilitará que dados mais velhos ainda possam ser ligados ao mesmo usuário, tanto por endereço IP como por cookie. Esta prática deve entrar em vigor até março de 2008 e deverá afetar dados com no mínimo 18 meses e até 24 meses. Se este número de 24 meses (dois anos) for confirmado, a mudança no gerenciamento de cookie terá realmente sido para nada.

Anúncios

Escrito por Altieres Rohr

Jornalista e tradutor. Editor dos sites Linha Defensiva e Garagem 42 e colunista de Segurança Digital no portal G1 da Rede Globo.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.