Site em chinês é mantido nos Estados Unidos e acessível na China apenas com o uso de proxy. (Foto: Reprodução)

O site Boxun, que é escrito em chinês e mantido por um homem que mora nos Estados unidos, está sendo alvo de ameaças, de acordo com o dono do site e uma empresa que o hospedava. Os ataques começaram quando o site começou uma cobertura agressiva de um escândalo envolvendo Bo Xilai, um ex-oficial do Partido Comunista chinês.

As informações são de uma reportagem do The Washington Post.

De acordo com Watson Meng, 47, responsável pelo site, a página ficou fora do ar durante a quinta-feira (19). Já pela manhã, Meng recebeu um telefonema da Name.com, a empresa responsável pelo registro do site. A empresa informou que um ataque contra sua infraestrutura estava sendo realizado.

A Name.com recebeu um e-mail anônimo informando que os ataques continuariam enquanto a companhia prestasse serviços ao Boxun. O e-mail pedia que a empresa derrubasse o site ou o transferisse para os atacantes, alegando à Meng que o domínio fora alvo de roubo.

Ao The Washington PostWilliam Mushkin, o fundador da Name.com, confirmou que a empresa foi ameaçada. O ataque teria sido “um dos maiores na história da empresa”, que tem cerca de 1,5 milhão de clientes.

Três provedores

Meng transferiu o Boxun para a Enom[1. A Enom é a empresa responsável pelo registro dos domínios linhadefensiva.org e linhadefensiva.com.]. Na sexta-feira, a Enom comunicou que Meng tinha tinha algumas horas para transferir o site para outra registradora.

Meng recorreu à 1and1 que, neste sábado, ainda estava prestando o serviço de registro ao site.

“Táticas agressivas como essa ferem a livre troca de ideias que a internet deveria permitir. É uma pena que a liberdade de expressão ainda não é um direito universal. Esperamos poder apoiar a Boxun no futuro”, afirmou Mushkin, da Name.com, ao The Washington Post.

As empresas foram alvo de ataques de negação de serviço, que sobrecarregam os recursos de conectividade para tornar um site indisponível.

O escândalo

Bo Xilai foi removido do Partido Comunista chinês após denúncias de corrupção. A mulher dele é acusada de assassinar um empresário britânico. De acordo com o The Washington Post, a queda pública e rápida de Bo é “espetacular” na política tensa e obscura da China.

O Boxun também está cobrindo as relações de Bo com Zhou Yongkang, um chefe de segurança do país e um líder do partido. Os dois estariam tentando bloquear a ascensão de Xi Jinping, que deve se tornar o próximo presidente do país.

De acordo com Mushkin, da Name.com, os ataques à empresa tiveram origem chinesa, mas não é possível saber se houve envolvimento do governo. A embaixada da China nos Estados Unidos afirmou que as acusações “não tem fundamento” e que o país não encoberta ataques na internet, já que estes são proibidos pela lei chinesa.

Um teste no site Great Firewall of China aponta que o Boxun é bloqueado pela rede chinesa. Somente é possível acessar a página por meio de um proxy – um servidor intermediário que não seja bloqueado.

Anúncios

Escrito por Altieres Rohr

Jornalista e tradutor. Editor dos sites Linha Defensiva e Garagem 42 e colunista de Segurança Digital no portal G1 da Rede Globo.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.